Contactos

Jata Seco Embelezamento Automotivo

  • Pessoa de contato: Márcio Moraes
  • Telefone: +55 (11) 4640-33-38
  • Endereço postal: Rua Minas Gerais, 190 - Morro Branco, Itaquaquecetuba, São Paulo, 08572-450, Brasil

Renovações do site

Test-drive: R7 avalia o novo Kia Soul Flex, que custa a partir de R$ 52,9 mil

Test-drive: R7 avalia o novo Kia Soul Flex, que custa a partir de R$ 52,9 mil
Crossover com imagem diferenciada aposta no etanol para conquistar mais mercado

31/03/11 13:20

Lucas Bessel, do R7

O momento para lançar uma versão flex do Kia Soul (R$ 52,9 mil a R$ 65,9 mil) não é exatamente ideal. Os altos preços do etanol em todo o país fazem a maioria dos motoristas optar pela gasolina. Mas isso não ofusca as qualidades do "carro design" da montadora sul-coreana, que traz um excelente motor 1.6 que gera 130 cv quando abastecido com o combustível vegetal. O câmbio automático sequencial também é novidade.

Os executivos da Kia dizem que o Soul é o carro que marca a virada de identidade da Kia, discurso confirmado pelo chefe de design da montadora, Peter Schreyer.

  • O novo Soul é um importante avanço para a Kia na sua jornada para se tornar uma empresa guiada pelo design.

O visual atrativo – formato de caixa com "cantos" arredondados – agora tem a companhia de um propulsor flexível que, quando (e se) os preços do etanol baixarem, permitirá a seus proprietários economizar uns benvindos trocados no posto de combustível.

A cara do novo Soul

Por fora, o novo Kia Soul é praticamente o mesmo da versão movida a gasolina, lançada no país em 2009. A única mudança visual foi na maçaneta, que segundo os executivos da marca foi trocada para evitar as quebras de unhas das mulheres, que constantemente reclamavam do sistema anterior.

Por dentro, novo grafismo no quadro de instrumentos, opção de ar-condicionado digital e nova forração das portas, que dá um ar mais requintado ao crossover. A câmera de ré no retrovisor interno, um dos grandes atrativos do modelo, continua a fazer sucesso.

alt text Motor 1.6 agora é bicombustível e gera 130 cavalos de potência quando abastecido com etanol/Divulgação

Desempenho

Abastecido com etanol (a gasolina gera 4 cv a menos), o Soul com câmbio manual de cinco velocidades fica esperto e chega a empolgar nas acelerações. O torque máximo é de 16,5 kgfm a 5.000 rpm (16 kgfm a 4.500 rpm com gasolina). Com peso relativamente baixo (1.287 kg), o motor 1.6 é suficiente para botar um sorriso na cara do motorista.

A suspensão é bem acertada para o percurso em estrada avaliado pelo R7 durante test-drive entre Itu e Piracicaba, no interior de São Paulo. Mesmo com o formato quadradão e a boa altura (1,61 m), o Kia Soul traz segurança em curvas a velocidade média.

Os dois fatores negativos no desempenho do carro ficam para o ruído de motor e vento acima de 100 km/h e para a tendência do carro de "dançar" em altas velocidades, o que exige correções do motorista.

alt text Apesar do uso excessivo de plástico rígido na parte interna, o acabamento geral do Kia Soul é bom/Divulgação

Acabamento, segurança e conveniência

Embora use muito plástico duro, como é de praxe na categoria, o Kia Soul traz excelentes encaixes de peças. A textura do material também é boa, enquanto a forração nas portas garante a aparência agradável.

O espaço na frente, mesmo para motoristas altos, é muito bom. É fácil encontrar a posição ideal de dirigir, apesar do fato de o volante ter apenas ajuste de altura, e não de profundidade.

Atrás, o Soul pode levar dois adultos e uma criança com relativo conforto. O espaço no porta-malas (340 litros) é suficiente para a bagagem básica.

Duplo airbag e rádio CD/MP3 com entrada auxiliar, para iPod e USB, é de série em todas as versões. Já os freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem) e a câmera de ré no retrovisor são oferecidos a partir da versão U.113, a segunda mais barata.

O modelo de topo (U.166), que oferece câmbio automático de quatro marchas e vem com todos os equipamentos possíveis, custa R$ 65,9 mil.

alt text Versão topo de linha, com câmbio automático e câmera de ré no retrovisor, custa R$ 65,9 mil/Divulgação

NOTAS (0 a 10) Design (8,5) – É ousado e chama a atenção nas ruas. Por causa do fator "ame ou odeie", não leva nota maior.
Conforto (8) – Tem ótimo espaço para o motorista e oferece boa posição de dirigir. O bom nível de acabamento, apesar dos plásticos duros, também é destaque.
Comportamento (7,5) – Mesmo sendo um carro alto, passa segurança nas curvas a média velocidade. Acima dos 100 km/h tende a "dançar" de um lado para o outro, exigindo correções.
Motor e câmbio (8) – O 1.6 de 130 cv (com álcool) empurra muito bem o carrinho e entrega torque máximo de 16 kgfm a 4.500 rpm. O câmbio manual de cinco velocidades é preciso. O lado negativo é que a transmissão automática tem apenas quatro marchas (o sedã Cerato já leva o modelo de seis marchas).
Segurança (7,5) – Freios ABS com EBD – a partir da segunda versão – e duplo airbag de série são destaque.
Preço (8,5) – Partindo de R$ 52,9 mil e chegando a R$ 65,9 mil, o Soul entrega imagem, desempenho e conforto a preço competitivo.
MÉDIA FINAL (8)

Opinião: Com design que permanece atual e um bom motor, o Soul ainda tem algum tempo de vida antes de precisar de um face-lift. A introdução do motor flex, embora venha em momento inoportuno, é mais um atrativo para o consumidor que procura um carro diferenciado e com preço competitivo.

alt text Design "caixote com cantos arredondados" chama a atenção, mas desperta amor ou ódio/Divulgação

Fonte: R7 Carros

Notícias anteriores
Chrysler convoca 483 proprietários do Town & Country para recall
Chrysler convoca 483 proprietários do Town & Country para recall

30/03/11 20:45

Problema em chicote elétrico pode causar incêndio em portas. Ação vale para modelos fabricados entre 2008 e 2009.
Crise no etanol obriga Petrobras a importar gasolina
Crise no etanol obriga Petrobras a importar gasolina

29/03/11 16:12

Após quatro décadas de autonomia, a empresa traz o combustível da Venezuela
Palio é o carro mais recomendado por reparadores
Palio é o carro mais recomendado por reparadores

24/03/11 20:40

A Fiat é a fabricante cuja frota circulante mais cresceu no Brasil na última década