Contactos

Jata Seco Embelezamento Automotivo

  • Pessoa de contato: Márcio Moraes
  • Telefone: +55 (11) 4640-33-38
  • Endereço postal: Rua Minas Gerais, 190 - Morro Branco, Itaquaquecetuba, São Paulo, 08572-450, Brasil

Renovações do site

Tudo sobre pneus

Tudo sobre pneus

09/04/11

Anselmo Cheré e Simone Coelho

alt text Todos os pneus, novos ou remoldados, recebem o selo do Inmetro de certificação de resistência
Os pneus são responsáveis para dar conforto, estabilidade e segurança ao dirigir. Mas, para que possam funcionar a contento é necessário observar uma série de pequenos cuidados que vão influir tanto na durabilidade quanto na economia de combustível.

Estrutura do pneu

Os pneus são feitos de quatro partes:

Talões – Para manter o pneu acoplado ao aro da roda, uma borda feita com uma malha de arame muito resistente é aplicada internamente, garantindo a aderência ao aro, além de reforçar e criar suporte para a montagem do pneu.

Flancos – Uma mistura especial de borracha com alto grau de flexibilidade serve para proteger a carcaça de lonas. Normalmente é no flanco que estão inscritos os números e letras que servem como identificação do tipo de pneu usado.

Carcaça – Parte resistente do pneu é constituída de lonas de poliéster, nylon e aço. Consegue reter o ar sob pressão, suportando o peso total do veículo. Nos pneus radiais, as cinturas complementam sua resistência. Conforme o processo e fabricação da carcaça, o pneu pode ser diagonal, com lonas cruzadas, radiais e diagonais, com lonas estabilizadoras na banda de rodagem.

Banda de rodagem – É a área do pneu que entra diretamente em contato com os mais diferentes tipos de solo. Formada por um composto especial de borracha, que garante boa resistência ao desgaste, tem várias formas de desenho, constituídos pelas partes cheias (chamadas de biscoitos) e vazias (os sulcos).

alt text O material do pneu inflencia diretamente na direção

Tipos de pneus

Pneus com câmara de ar – Têm uma câmara de ar independente, feita de borracha. Se for furada, seu esvaziamento é sempre rápido, pela maleabilidade e baixa espessura de borracha da câmara.

Pneus sem câmara de ar – O próprio pneu retém o ar por ter um revestimento de borracha macia que adere à sua parede interior, vedando o ar. É mais fácil de montar e quando furado esvazia com mais lentidão. Um tampão especial de borracha (conhecido como taco) permite obstruir o furo sem a remoção da roda.

Dica: Todo o pneu, novo ou remoldado, tem um selo do Inmetro. As peças são testadas em ensaios de verificação de resistência. Em peças novas, a marca da entidade – comporta por três números – aparecerá nos flancos. Todos os pneus fabricados por uma mesma empresa terão os mesmos números. No caso de pneus remoldados ou recauchutados, deverá trazer uma expressão estampada na peça que identifique esse tipo de pneus.

Manutenção

A falta de manutenção pode pesar no seu bolso, já que a durabilidade passa a ser comprometida. Então, além do pneu, é sempre recomendado fazer um “check up” da suspensão e também:

Calibragem – Verifique a pressão dos pneus pelo menos uma vez por semana. No começo parece uma chatice, mas depois você se acostuma e ainda ganha uma vida maior do pneu prevenindo desgastes desnecessários. O ideal é fazer a medição quando os pneus estiverem frios, como está recomendado no manual de seu veículo. Mas, caso você não tenha um posto de gasolina perto de casa, se for andar até 1,5 quilômetro, a variação será mínima, dependendo das condições do tempo. A pressão de ar recomendada pode ser encontrada em um adesivo na coluna da porta do motorista, dentro do porta-luvas, no próprio pneu ou no manual do fabricante, sempre obedecendo a pressão máxima indicada. Se você for viajar com toda a família, o cachorro e mais aquele monte de sacolas, acrescente de 2 a 4 libras.

Rodízio de pneus – Como os pneus da frente trabalham com cargas e frenagens diferentes dos instalados atrás, o desgaste passa a ser desigual. Para aumentar a vida útil e conseguir melhor desempenho, faça o planejamento do rodízio seguindo as recomendações do fabricante quanto à quilometragem e ao uso que você faz de seu carro.

Balanceamento de rodas – O balanceamento contribui para diminuir o desgaste desigual e aumentar a vida útil do pneu. Pode ser feito a cada 10 mil quilômetros, junto com o rodízio de pneus ou quando for instalar um conjunto novo.

Alinhamento de rodas – Cada veículo conta com uma especificação própria para o alinhamento. Se não seguir determinadas normas, os pneus irão desgastar de forma aleatória, aumentando o consumo de combustível. Caso sinta que, ao rodar em linha reta, seu carro não mantém a trajetória, é hora de balancear seguindo as recomendações do fabricante.

Dica:
“O Rodízio de Pneus é indicado para manter o mesmo nível de desgaste no conjunto, garantindo mais estabilidade e aderência em pistas secas e molhadas”, afirma Andréa Gomes, coordenadora de vendas internas da Rede Zacharias. A indicação é que o condutor faça o rodízio a partir de 6.000 a 8.000 km rodados. Mas antes de começar a compensação dos pneus, o motorista deve ficar atento a mais um detalhe: o estepe. Se ele tiver uma dimensão diferente das demais rodas, não pode entrar no rodízio, pois esse procedimento geraria um desequilíbrio muito grande. Mas, se for do mesmo tamanho, ele deve participar. “Isso acontece porque o pneu começa o seu processo de envelhecimento com 5 anos e atinge um grau mais crítico com 10. Por isso, é recomendável que o estepe participe do rodízio, pois o pneu pode perder a sua validade, sem ter sido utilizado”, afirma Flávio Santana, gerente de marketing de pneus de passeio, caminhonete e duas rodas da Michelin.

alt text O rodízio de pneus é importante para equilibrar o desgate das quatro peças

Decifrando o pneu

Assim como qualquer equipamento, é sempre recomendável, ao adquirir um veículo, ler o manual do proprietário. Muitas vezes, a cansativa espera pelo guincho, devido a um problema nos pneus, poderia ter sido evitada com a rápida leitura do manual. Mas, caso você seja um daqueles que abominam essa prática, o pneu já tem todas as informações impressas no flanco. Podem constar:

1) A marca e o modelo do pneu

2) O tipo de construção do pneu (se diagonal, o mais convencional) ou radial. No diagonal, os cordonéis das lonas vão de talão a talão, formando ângulo com a linha central da banda de rodagem. No radial, os cordonéis da lona vão de talão a talão no sentido radial, formando um ângulo reto em relação à linha central da banda de rodagem. Logo abaixo da banda de rodagem existe uma cinta de cordonéis de aço que circunda o pneu, de acordo com informações da Goodyear.

3) As medidas dos pneus radiais seguem um padrão. Por exemplo: 175/70R13 82T, onde:
175 indica a largura do pneu, em milímetros;

70 é a série do pneu, a relação, em porcentagem, entre a altura e a largura do pneu. No exemplo, a altura corresponde a 70% da largura (175mm). Quanto menor for esse número (50, 45), mais baixo é o perfil do pneu, com uma aparência mais larga;

R indica que o pneu é radial. Quando não existe a letra, o pneu é diagonal;

O número 13 indica o diâmetro em polegadas do aro em que o pneu é montado;

82 é o índice de carga, pela tabela abaixo, 475 quilos, e indica a capacidade máxima que o pneu pode suportar;

A letra T informa a velocidade máxima que o pneu pode ser submetido para transportar a carga correspondente. Para saber ao certo os valores de cada pneu, reproduzimos as tabelas com seus valores.

SÍMBOLO DE VELOCIDADE MÁXIMA E VELOCIDADE MÁXIMA CORRESPONDENTE

Símbolo de Velocidade Velocidade Máxima km/h
M 130
N 140
P 150
Q 160
R 170
S 180
T 190
U 200
H 210
V 240
W 270
Y 300
Z Acima de 240

ÍNDICE DE CARGA E DE CARGA MÁXIMA
Índice de carga Carga Máxima (kg) Índice de carga Carga Máxima (kg)
70 335 97 730
71 345 98 750
72 355 99 775
73 365 100 800
74 375 101 825
75 387 102 850
76 400 103 875
77 412 104 900
78 425 105 925
79 437 106 950
80 450 107 975
81 462 108 1.000
82 475 109 1.030
83 387 110 1.060
84 500 111 1.090
85 515 112 1.120
86 530

113

1.150

87 545 114 1.180
88 560 115 1.215
89 580 116 1.250
90 600 117 1.285
91 615 118 1.320
92 630 119 1.360
93 650 120 1.400
94 670 121 1.450
95 690 122 1.500
96 710

4) Em pneus importados, pode constar a inscrição tubeless, se for pneu sem câmara, ou tube type, se for com câmara.

alt text Os pneus on/off road são comuns em caminhonetes e utilitários. Os off road são mais usados em veículos de competição na área rural

Dicas:
Na hora da troca é aconselhável que os quatro pneus sejam trocados juntos. Mas, se apenas dois pneus estão inutilizados e o condutor precisa economizar, os técnicos dão a dica. Os pneus novos devem ser colocados na parte traseira, que garantem melhor aderência, maior estabilidade e segurança na hora de frear.
Antes de comprar pneus novos é recomendável que o condutor fique de olho na marca. “Se for um ou dois pneus, não há problema que sejam de marcas diferentes. Agora, se forem três ou o jogo todo é bom que sejam da mesma marca. O que não pode acontecer é pneus de marcas diferentes ficarem no mesmo eixo”, afirma Santana. “O condutor também precisa se preocupar em respeitar os códigos de comportamento e índice de carga mínimo homologado pelo fabricante”, alerta Andréa.

Características

Como podemos notar, cada pneu tem uma característica específica para cada modelo, que conseguimos resumir dessa forma:

Pneus de alta performance – além de suportar altas velocidades, garantem aderência e estabilidade. Normalmente, são pneus de grande diâmetro e largura, com perfil baixo (50, 45, 40 ou 20) e rodas de 17, 18, 19 ou 20 polegadas. Por essa característica, oferecem pouco conforto.

Pneus convencionais – São os recomendados no manual que acompanha o seu veículo, oferecendo conforto, durabilidade e um rodar mais macio.

Pneus On/Off Road – São mais usados em utilitários, picapes e camionetes. Por seu uso misto, pode enfrentar tanto o asfalto como estradas de terra, são radiais e não oferecem muito conforto, além de produzir mais ruído na rodagem.

Pneus Off Road – Devem ser usados apenas em estradas de terra, tanto para competição como uso diário em aéreas rurais. Se usados indevidamente no asfalto, têm baixa durabilidade, produz muita vibração e ruído, comprometendo a segurança.

alt text "O limite de segurança de um pneu é 1,6 mm de profundidade de escultura, abaixo desse limite, não se torna mais seguro ao veículo", afirma Andréa Gomes.

Dica:
Quando o pneu apresenta desgaste no centro da banda de rodagem é sinal que você está usando pressão maior do que a recomendada. Se o gasto ocorrer em ambas as bordas do pneu, significa pressão muito baixa, cedendo as laterais do pneu que entram em contato com o solo antes da área central. Se o pneu ficar careca em apenas um dos lados isso quer dizer que as rodas devem estar desalinhadas. Se o desgaste for irregular, ou as rodas estão desbalanceadas,ou é preciso substituir os amortecedores.

Fabricantes:

Goodyear – 0800-7257638
Pirelli – 0800-7287638
Michelin – 0800-9709400
Bridgestone Firestone – 0800-0161718

Curiosidades

  • O fundador da Goodyear Tire & Rubber não foi Charles Goodyear, mas Frank Seiberling, que deu o nome à sua empresa em homenagem ao inventor o processo de vulcanização da borracha.

  • O boneco Bibendum (BIB) foi criado em 1894, durante a Exposição Universal e Colonial de Lyon, quando os irmãos Michelin notaram uma pilha de pneus que, e longe, parecia uma pessoa. Foi desenhado por Marius Rossillon em 1897.

  • O pneu radial foi inventado pela Michelin em 1946 e hoje está sendo usado em motocicletas, aviões e também na Fórmula 1.

  • Criado para supercaminhões na extração do petróleo, o pneu da canadense Titan impressiona por sua medida: 59/80 R63. Essa classificação garante ao pneumático o título de maior do mundo produzido em série. Suporta até 100 toneladas, é fabricado com borracha maciça e pesa mais de 5 toneladas.

Fonte: AUTO ESPORTE

Artigos anteriores
Os perigos que o carro sujo esconde
Os perigos que o carro sujo esconde

08/04/11

Mantenha o carro limpo e a alergia longe. Cuide do seu carro e dê carona à saúde
DICAS E CUIDADOS COM A PINTURA DE SEU CARRO
DICAS E CUIDADOS COM A PINTURA DE SEU CARRO

04/04/11

Muitos fatores podem comprometer a pintura do seu carro, mas manter a pintura sempre bonita, brilhando e com aspecto de nova é perfeitamente possível desde que algumas dicas sejam seguidas.
MAU CHEIRO NO VEÍCULO
MAU CHEIRO NO VEÍCULO

31/03/11

Andar de carro é um prazer, pois ele nos serve tanto para momentos de locomoção para o trabalho quanto para momentos de lazer, mas para que estas situações sejam sempre agradáveis é importante que tenhamos alguns cuidados básicos com o nosso veículo.